sábado, 28 de junho de 2008

Gelada?

Ela é de gelo.
Gelatina ou geléia sou eu.
Ela é de voz doce, seu ouvinte eu sou.
Ela é olhos, eu não posso nem olhar.
Ela não quer, eu.
Ela não, nem sei se não.
Ela senão, pois não, paixão.
Eu? Sonho não!

Nenhum comentário: