sábado, 5 de julho de 2008

Chorus

De onde virá a ajuda? como esperar por algo que não vejo? Lembrei-me que, ora, a esperança tem que ser firmada sem se importar se o que vemos está somente em nossas mentes. Temos a certeza que virá, o que brotou algum dia no coração, pois não fomos nós que colocamos a semente lá, mas, sentimos que foi algo superior. Por isto acreditamos que ao lado de toda luta, virá o momento de folga, de sossego e o sucesso chegará. Não porque queremos, ou por termos alguma nota diferente de outros, mas sim por que algo conspira para que ganhemos de graça. Sabemos que não importa a força e a inteligência que tenhamos, se não for por uma espécie de favor que o universo faz pra nós, não somos merecedores nem de respirar. Quando passamos por dificuldades nos lembramos disto tudo, das palavras que estão em nossa mente e corações. Elas estão grafadas como fogo na madeira, guardadas como vinho em tonéis de madeira, como água dentro da rocha e protegidas dentro de nossa cabeça, como se tivessemos sobre nós um escudo ou na cabeça um capacete. Ainda assim, quem poderá me livrar de tamanha luta? Eu sei que algo se levantará e me carregará como a um filho. Seja rápido o socorro, pois minhas forças e esperança já à muito estão enfraquecidas. Escolho, por você, não estar mais errando o alvo que desde o início foi colocado para mim. Queria que a escolha viesse por um motivo mais elevado, mas no final tudo será para cantarmos uma canção. Como se fossemos anjos.

Nenhum comentário: