terça-feira, 1 de julho de 2008

Separada

Eu queria ser santa. Mãe me disse que eu podia. Meu pai já nasceu assim separado para tal, do seu jeito foi ser santo louvador. Me restou ser alguém primeiro e santa bem depois. Agora que estou aqui, onde serei santa, neste altos de Minas Gerais? Por onde irei meu Deus? Um moço escreveu pra mim dizendo que eu era alguém do tipo pra vida inteirinha. Dele. Não pra mim, ou pra nós. Tomei susto, suco natural, copos d'água e atitude. Me resta sempre o que mãe me disse quando eu era pequena fora daqui.
- O caminho da verdade e da vida, minha filha, segue ele, segue minha linda.
E serei santa separada que sou, desde pequena.

Nenhum comentário: