sábado, 19 de julho de 2008

sorriu?

Sou homem. Cobiço seu corpo como sexo, remediável apesar. Desejo conhecer sua mente de mulher, seu sentimento profundo, medos, sonhos perdidos, adiados e transponíveis logo ali. Abraço seu abraço não como fazem outros, e sim como outro faria se minha fosse. Seu sorriso é boca para meu beijo, meu gosto e o seu hálito. Quero seu cabelo dividindo meus dedos e na palma da minha mão. O que digo, diria em qualquer outro momento, pessoa. Mas não estou em outro lugar do mundo e sim aqui. Pode acontecer somente para um e o outro a inspirar para o próximo. Quem estará com você no seu momento, jamais serei eu. Mas não haverá perda enquanto não houver seu ganho. Tenho a impressão, espero que falsa, que não existe nenhum tipo de perda para você. Inspirar a amar e ser amado toca a fila a andar. Gostar penso ser temporário. Por isto o tempo que fosse para mim seria o que me bastou. A outra preocupação é mais de ego, de estudioso, de filosofo; você em algum momento sorriu?

Nenhum comentário: