domingo, 5 de outubro de 2008

mulher tátil

Mulher, é certa sua presença entrecortando outras chamadas.
Ocupando espaços nas laterais e preenchendo o não vazio.
Tragando olhares redondos saídos de olhos cegos de outras.
Trazes palavras de volta, ao batente músculo meu.
Mulher, suspirante motivo sem raciocínio sobre outros dias.
Mulher em movimento, em lento mover de gravação pela lente do olho.
Mulher filha de deus, criada para inspirar.
Mulher do tato, sem meu toque és nada de tátil.
Corpo dócil, levemente leve como de nuvens brancas.
Viajas mulher.
Eu te lembro mulher,
Tu mulher que é mulher.

Nenhum comentário: