terça-feira, 3 de março de 2009

eu falo. e você?

Considerando a hipótese, que está sendo considerada muito antes de ser verossímil, de que suas palavras, as mais belas que tenho ouvido, lido e compreendido, estas mesmas que me colocaram onde estou guardado, local preferido entre aqueles que trocaram o certo quase seco, pelo duvidoso momento de águas tempestuosas, local o qual também chamo de 'quente mas gostoso', pois estas palavras tão sensíveis e calorosas, tão meigas e saborosas, tão cheias de mensagens de esperança de um relacionamento de mútua compreensão, elas tem, as palavras, sido o meio que me tem enfaixado os machucados, esterilizado-os e colocado vicvaporub onde é necessária uma ação mais profunda, e que tem me causado um prazer de horizontes infinitos, embora eu acredite que tudo isto é fantasia de quem precisa, como eu preciso, de modo incomensurável e sem medita cabíveis a partir de compreensões sem paixões ou sem olhares de condescendência quando o nível do óleo baixa de repente, e a gente sente que tudo mudou e pensou em um dia acreditar que tudo era pra sempre, mas, porém, contudo, todavia, entretanto, muito antes pelo contrário do que foi estabelecido pela 4ª emenda da constituição americana, mesmo assim eu confesso, sob pena de não quebrar nenhum tipo de juramento, já que eu, de modo algum, jamais, juraria sobre nada o que na terra há, já que tudo é Dele, e sabendo e sabido que tudo que eu disser aqui será publico e até publicado, e já temendo ser tomado como martír de situações inexplicáveis e causais, chegando até mesmo em vias de fato e romanceiramente colocáveis em livros, eu digo que viver sem esperar por você, fazendo compnhia vendo a lua, cheirar mato molhado sem seu narizinho por perto, ter dedos nas mãos sem os seus tocar, sonhar com um dia mais bonito que hoje, sem poder te contar...não dá, não rola, não me convence que a vida é bela e quem ganha o oscar é quem merece, portanto meu bem, em resumo, de modo bem simples e sem fisiologia, digo, sem ser prolixo, eu digo, eu tenho certeza que um dia, eu vou parar de dizer que te amo.

Nenhum comentário: