segunda-feira, 30 de março de 2009

julho de 2008, revendo

Terça-feira, 1 de Julho de 2008

Leite
Preciso deixar-me sair de dentro de mim.
Já.
Preciso ir a algum lugar para me observar,
de fora para dentro.
Preciso descansar de mim,
de você que está tão aqui dentro.
Solidão de dor,
de consciência,
de esperança,
de certezas tristes,
de coisas tangíveis e eternas.
Quero a companhia do passageiro,
da passageira,
do que vai morrer logo ali.
A companhia das coisas que a gente vê,
rapidamente,
e guarda na memória pra lembrar depois,
se precisar.
Desespero total a curto prazo,
melhor que pensar em tê-la sem tê-la,
de tê-la a pensar sem pensar...
Quero me aninhar em mim mesmo,
mesmo sabendo que daqui não sai leite morno,
colostro.
Nem carinho de pai.
Sinto não poder ter-me em ti.

4 comentários:

Milson Veloso disse...

A TRANSITORIEDADE DO TEMPO, ÀS VEZES, NOS DEIXA A VONTADE [QUASE INCONTROLÁVEL] DE SAIRMOS POR AÍ SEM AS CASCAS QUE NOS PRENDEM ÀS VERDADES E AOS AMORES.

Talita Prates disse...

Caro Marcos, paz!
Antes de tudo, gostaria de agradecer, ainda que tardiamente, sua visita ao meu blog.
Amei seu comentário: poético e pertinente!
|Gostei muitíssimo do seu blog tb. Estarei o "seguindo" a partir de agora! rs
Até mais!
Paz.

Fernanda Fernandes Fontes disse...

Se este sentir continuar a te inspirar...desejo-te a prisão de ti. Prossiga...

Ricardo Esteves disse...

Ser humano busca isso né.. ser completo
sente sempre falta de alguem, de algo
pq procuramos sempre assim uma outra parte, acho que o amor seja isso no final das contas
gostei
tenho um blog com um perfil parecido
http://ricardolesteves.blogspot.com/
x)