quinta-feira, 5 de março de 2009

põe vírgula pra mim na minha vida

a solidão me pegou desacompanhado
sem luz que da lua era crescente
e não tinha música pra dar
desembrulhada de papel fantasia
minha penada saiu sem alma
minha escrita se partiu
conduz o nó arrastando
na garganta o amargo

Um comentário:

Humana disse...

Bonito poema apesar da solidão...
Por vezes ests momentos fazem-nos reflectir sobre a vida.Ao menos que sirvam para isso!
Beijos e obrigada pela visita e comentário.