terça-feira, 28 de abril de 2009

descolorido esperando a lua

como irreal é a busca em um ponto de norte a sul, leste a oeste.
por cima ou debaixo da coberta não encontro tanto sossego,
coberto estou de sonhos.
acordado.
sem acordo vi olhos e chinelos indo e deixando tudo sem saída,
eterno, estrada comprida, fila sem fim.
desalento. preguiça.
aceite por ódio, matança, desfiliação,
mas sem compreensão, sem entendimento, sem trocados de palavras,
sem discusão, nem dircurso curto,
sobreviver apenas por bobo.
aliás por enganar o ser,
escrevendo,
lendo, comentando as mesmas dores,
do pisão no rabo sem ponta.
exterminar o sentimento, sentindo tudo,
caroço na mão,
dor no cotovelo,
apoio de cabeça pesada e mais motivos.
ai! não querer dor é fácil.
tê-la mais ainda.


sempre tem alguém que me dá uma dica!

5 comentários:

Codinome Beija-Flor disse...

é que somos esse misto de rotinas e sentimentos.
Abraços

Fernanda Fernandes Fontes disse...

"escrevendo, lendo e comentando as mesmas dores"...fato!

É, doer é fácil, mto. Dor de poeta...nem tanto para todos!

Bjs

Dica disse...

Primeiro texto lido hoje.
O seu!
"Não querer dor é fácil, têla mais ainda" Isso ao som de Amos Lee derruba qualquer um que ACHA que não sente alguma dor. A minha estava tão bem escondida..

=)


Bom dia, meu bem!

Taina Mortari disse...

Oi! =)
Vi seu blog por ai e acabei clicando pra ver.. tá muito massa!
Agora volto sempre! rs

beijos

iilógico disse...

cbf: quando tiro a pedra de cima, há vida!

fontes: fácil, digo, ter. sentir não é fácil!

dica: como te disse, tome na dose certa o remédio...

taina: tenho visto, tenho visto. volte e volte. estou indo lá também