quinta-feira, 16 de abril de 2009

fontes

apertado em imensos lugares largos,
mergulho em águas doces passadas,
lua voltada para o direito reescrito de meigamente deitado
e cuidado por palmas abertas sobre cabeça.
guarda de palavras discricionárias do ser surpreendente
com tempos vindos agora e de porvir.
lembretes desdobrados pelos gelos contidos nos ventos trazidos,
traduzindo o passado despercebido com étereos motivos de serem novamente vividos. mostra testa.
lenço solto.
ave noturna em beira de rio da memória resgate.
espaço ocupado.
todo. toda.

5 comentários:

Fernanda Fernandes Fontes disse...

os paradoxos de abstrações são tão concretos em almas contrárias ao sopro da mundo...continue a ventar!

bjs

Nathália disse...

"apertado em imensos lugares largos"
Sufocante...

Princesa disse...

lindo de verdade bons poemas
bj

Cleyton disse...

Diagnóstico: loucura poética.
Tratamento: praias de Pernambuco.

iilógico disse...

Fernandinha: velas pela vela?

Nathalia: escrevo, logo senti. rs

Princesa: que bom que gostou, volte com mais tempo e aprecie...

Cleyttão-tão: ai...