sábado, 6 de junho de 2009

raio x

não!
não tire as partes óbvias,
as coxas, bundas ou seios.
não tire o revistar,
o raio-x,
o tridimensional olhar.
nem as apalpadelas.
não me prive à...
não me tire elas!

5 comentários:

Fernanda Fernandes Fontes disse...

Ah, por mim as partes óbvias podem partir, mas as subjetivas não, jamais!

Bjs

PS.: Obrigada pelas sempre belas palavras...

Cleyton disse...

uau.

Carola Guimarães disse...

Como monitora da disciplina radiologia na faculdade... posso dizer: os raios x são ionizantes. Melhor não se expor em vão.

Bela poesia! ;D

Sonia Schmorantz disse...

"Conte a sua história ao vento,
Cante aos mares para os muitos marujos;
cujos olhos são faróis sujos e sem brilho.
Escreva no asfalto com sangue,
Grite bem alto a sua história antes que ela seja varrida na manhã seguinte pelos garis.
Abra seu peito em direção dos canhões,
Suba nos tanques de Pequim,
Derrube os muros de Berlim,
Destrua as catedrais de Paris.
Defenda a sua palavra,
A vida não vale nada se você não
viver uma boa história pra contar."
(Pedro Bial)

Na impossibilidade de entrar em detalhes, como eu gostaria imensamente como todos amigos que tenho, venho trazer um pouco de poesia e desejar que seu domingo, sua nova semana seja de mil cores, que tenhas muitas alegrias!

Um abraço

Sônia

Ana P. disse...

Eu fiz um raio-x na minha vida.

E descobri que sem a bunda, as coxas e os seios...
sem as partes óbvias e sem o olhar, a apalpada...

sem nada

eu sou melhor.

Mas ninguém quer ver meu raio-x. Querem ver o tridimensional mesmo.