quinta-feira, 9 de julho de 2009

*sacrificado dia

tem um pedaço de mim que é sacrifício.
oitava parte, de dez oitavos, entrego à carnificina do diário.
o que sobra jogam pedras em cima.
me fazem um altar.
sou santo, separado para vagar,
sem esbarrar as asas, entre as cortinas que abaixam.
pois, da altura, deus me olha esperando eu voltar-me. a face escondida de vergonha.
ainda dá tempo de voltar?