segunda-feira, 31 de outubro de 2011

fundo


Saudade? Não falo. 
Não emito. Omito. 

Me conduzo arrastando as costas no muro e faço silencio. 
Como se não me ouvisse do outro lado. 
Baixo a cabeça e me arrasto na beira da cerca, 
para que, acaso me veja, pense que não tenho a enorme. 

A saudade tanta. 

E quando chega você, (me deixas calado da saudade, sinto)
não falo. 
Continuo mudo e me calas fundo, 
beijando-me a boca.

Um comentário:

Cristal - a louca. disse...

Bonito, não entendi a imagem...

Beijundas :)

Estou sempre por aqui, mas gosto das coisas mais alegres.