sexta-feira, 28 de outubro de 2011

relembre 4 de agosto de 2009


terça-feira, 4 de agosto de 2009

fortaleza

7 comenta aqui porra!
Não foi o corpo (apenas chamariz vestindo já o negro),
que primeiro minha visada observou na fortaleza.

Foram os olhos (miras de mirante futuro),
que me levaram ao mergulho do qual ainda não saí.
Fitei-os longamente e engoliram-me braços (entregues desarmados).

E o coração (como sendo a antiga sede da alma),
não se quis sozinho e acompanhando o pensar quedou-se (e aí está),
esperando um toque dos dedos seus.

Em seguida, vi o riso (que ainda hoje criança permanece),
dizendo-me:
- quero ser, quero ser.

E quando dentro (como se dentro carregasse o outro também),
vi seu corpo,
completo,
belo,
significante (coberto de descobrires).

Um comentário:

Anônimo disse...

Datas, datas tao importantes. como voce mudou, e se importa com elas. essa e muito importante para mim, e um dia foi para voce. crianças somos sempre querer as coisas sempre queremos, amar ...........sempre amamos.suas poesias e seus pensamentos as vezes profundos, as vezes tao complicados