domingo, 3 de março de 2013

título apenas

já não me lembro,
minha memória se recusa a estar viva.
minha doença parece que encobre tudo,
tudo fica turvo, indisponível, inacessível.
meus sonhos ou sonhar chegam ao título,
rodeiam, leve massagem na necessidade diária.
minha doença me dá medo, de ser só eu,
agora sabendo que sou só.
pior é não lembrar, não sonhar.
viva em minha cabeça está a dor de agora mesmo,
a do passado cheira mal em minha memória.
queria chaves também,
queria seus sonhos também,
queria saber de amar,
queria saber te amar também.
queria ser outro, como de fora.


Nenhum comentário: