quinta-feira, 26 de junho de 2008

Terço

Que será que pensa minha flor?
Serei sonho?
Serei verdade?
Se é meu o sonho, quem me acordará?
Se não me crês, algum dia conhecerá a verdade?
Se desejo te tocar, que farei com o desejo quando acabar a vontade de querê-lo?
Serás silêncio sempre?
E se falares, eu saberei e quererei ouví-la?
Virás?
Partirá ao mesmo tempo que eu.
E não nos veremos mais.

Nenhum comentário: