segunda-feira, 30 de novembro de 2009

se

se
tudo
se tudo fosse...se...
se...tudo fosse se
se tudo...fosse...se
se tudo fosse...se
se tudo...fosse se
se tudo fosse se
se
fosse

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

preguiça

tenho preguiça da discusão partida
da alma convencida que uns valem, outros não.
há pena em mim. ah! pena que sempre.
por isto a preguiça.
tenho a preguiça dos esforços em pensar pouco,
em pensar demasiado devagar, em pensar muito.
tenho preguiça de ter preguiça de manhã,
e saber que poucos vão se esforçar,
que ninguém vai reparar se esta merda feder.
tenho a preguiça como alvo, pois nunca notam
que a seta tem que "dar",
que garagem não é para parar,
que quem vai na frente pode ir devagar.
tenho preguiça da tv, de criticar tv,
de criticar jornalismo, de cobrir pela internet,
o mundo todo em minutos.
tenho peguiça pois tudo parece igual.
tenho preguiça de casamento, de aniversário,
de comemoração. tenho preguiça de perguntar de quem é a festa.
todos vão ficar no outro dia com preguiça de trabalhar.
isto dá uma preguiça.
preguiça de votar, de acompanhar, de resmungar,
de sair nas ruas e gritar.
tenho preguiça.
tenho preguiça de me envolver, tenho preguiça de querer,
tenho preguiça de me entregar, tenho preguiça de esperar.
tenho preguiça de sofrer.
tenho preguiça de procurar, tenho preguiça de quem tem preguiça,
tenho preguiça de não haver.
preguiça.
tenho preguiça.
tenho a preguiça de convencer, tenho preguiça de explicar, tenho preguiça de compreeender.
tenho preguiça de pensar. tenho preguiça de ser.
tenho preguiça de escutar, tenho preguiça de falar.
e tenho preguiça da preguiça em mim.
preguiça e se não for assim que escreve?
tenho preguiça de conferir.
tenho pregui.

domingo, 22 de novembro de 2009

o que é a solidão, se não apenas abandonar-se em si mesmo?

trecho

Às vezes apagar a luz do quarto que se sai pode ser o sintoma mais forte de que algo ali aconteceu de verdade, e, é quando nos instantes antes da sombra da escuridão tomar conta, você nota que nada se moveu por sua conta. Tudo, tudo naquele lugar foi colocado por outros e por outros motivos que não os seus e que nada ali lhe pertence. Apenas a angustia de logo apertar o interruptor e sair dali. lugar de solidão. Onde você fica? Dentro ou fora onde também não há luz nem vida? Sair é a decisão seguinte ou anterior e nada pode ser pior que decidir. Decidir é viver! Percebe afinal que outras coisas não são a vida, apesar das delícias de nada perceber...

(trecho de, quem sabe um dia, um livro)é foda sentir!

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

desenrole

tenho uma saudade tão intensa....
não é "grande de enorme", é extensa....
toma a forma de espiral e me enrola todo...
e enquanto faz isto vai me alisando a pele,
coroando o dia,
lavando a aura,
completando o sal,
empolgando o amanhã.
suplicando beijo,
pedindo colo,
lembrando cheiro,
olhando vazio,
dando arrepio,
copiando as falas,
relendo alegria,
surrupiando as horas,
pra que chegue logo o momento
de você me desenrolar...

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

je reviens

Je reviens
Je reviens, encore
Tu n'as même pas vu
Que j'étais partie alors
Je suis revenu
Comme on rentrerait au port
Fatiguée
De passer
Par dessus bord

Je reviens
Je reviens et j'ignore
Ce qui nous ramène
Ce qui nous ramène au bord
On a déjà vu
La mer rendre certains corps
Qu'on avait dit portés disparus

sábado, 14 de novembro de 2009

bocas

boca fria,
boca fica,
boca quente,
boca sente.
corpo sua,
corpo suo,
corpo seu,
corpo sua.
movo dentro...
movo senta!
movo sinto...
movo dentro!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

fronte

defronte do que você tem,
defronte do que você vê,
coloco-me dentro de onde está.
debruço-me nas coisas que você observa,
olho para o que você quer ter.
deito-me esperando a volta,
sua volta,
de suas ganhas lutas,
suas justas.
sorrio sabendo que à sua espera,
estou eu.
durmo tranqüilo meu amor, seus sonhos sãos,
meus são.