quarta-feira, 29 de abril de 2009

disléxica

quero uma esteira
busco uma cadeira
busco a coisa inteira
pra viver aqui.

dá-me sua orelha
não me dá rasteira
pata de coelho
a viúva chora.

quero ser criança
e fazer lambança
tapa na orelha
pra me curar balanço.

solitário errante
passeio pela serra
pedalada na lagoa
sem olhar magoa.

pego na estante
deito no seu prado
sufocante aldeia
saio pois venci.

minha dor volteia
faz mirabolante
parte desiludida
escrevo o que perdi.

4 comentários:

uma desfavorita dos deuses disse...

eta povo poeta!

Ana P. disse...

Eu não sei fazer poesia... Mas num tem problema não, pq eu faço prosa que é uma beleza.

Dislexia: dificuldade de ler e compreender as palavras.

Combina com o poema. Dislexia atacou em mim.

Nathália disse...

Geralmente perco o que escrevo.
Hahaha

iilógico disse...

uma: quem?

ana: quando?

nathaly: onde?