domingo, 24 de maio de 2009

copie, cole no comentário e coloque SUA pontuação

sua certeza absolutamente correta me ancorou na verdade na qual sempre estou apenas imagino se sua pouquíssima permissão por mim imaginada seria toda assim mesmo ou parte da verdade desejada por mim não poderia ser a verdade absoluta escondida em sua vastíssima estória de fugas planejadas contemplando as vestimentas preferidas pela estrela de toda minha vida como diria o poeta itabirano que também imaginou a pedra no caminho pois é que quando meus olhos fitam novamente sua beleza de cores iguais as escolhidas refaço-me semi-poeta e encolhido dentro de uma paixão desmedida como deve ser o reflexo de minha vontade de te-la como a escolhida tenho-me refeito da falsa vontade de que tudo por você sentido já tenha passado e passado e pasmado olho a mesma lua não mudada e é como se uma semana apenas tivesse ultrapassado o peito o coração a fácil explicação e força de expressão de quem deseja o amor inteiro por inteiramente entregue a alguém que tornará e tornará e tornará. como uma força necessária para que as fantasias alimentem o homem o espaço a vida. o meu viver.

9 comentários:

Tainá Facó disse...

Uau! Não vou tentar fazer isso. Senão vou perder a paciência! Se até lendo quase perco! hahahaha! Muito bom!

Estou com um novo blog, tá?

http://tf-pensamentos-soltos.blogspot.com/

Beijo enorme!

Gil. disse...

"refaço-me semi-poeta", se for mesmo pra dar uma pontuação, por essa frase, vc ja ganha um 10.
Bom final de semana.
Beijo meu.

Codinome Beija-Flor disse...

Acho que nem sempre devemos "pontuar" as emoções.
Li seu texto e senti nele a poesia.
Como todo poeta, só você sabe onde cabe ou não cada vígula, ponto e vírgula, quem sabe ainda uma exclamação, uma interrogação.
Há duas formas de ler o que você escreveu, ou vamos em "disparada", como quando sentimos o peito em brasa e queremos correr para ver se a brisa abranda e refrescar, o que queima dentro de nós.
Podemos ainda ler sem pressa, como acontece quando estamos com o coração em paz, quando "pontuamos" com cada suspirar.
Seja como for, o que interessa é que jamais devemos colocar em nossos sentimentos "PONTO FINAL"

Bjus

Codinome Beija-Flor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cristal - a louca. disse...

sua certeza absolutamente, correta, me ancorou na verdade na qual sempre estou. apenas imagino se sua pouquíssima permissão por mim imaginada, seria toda assim mesmo ou parte da verdade desejada por mim não poderia ser a verdade. absoluta escondida em sua vastíssima estória de fugas planejadas, contemplando as vestimentas preferidas pela estrela. de toda minha vida, como diria o poeta itabirano que também imaginou a pedra no caminho. pois é... que quando meus olhos fitam novamente sua beleza de cores iguais as escolhidas refaço-me, semi-poeta e encolhido dentro de uma paixão desmedida como deve ser o reflexo de minha vontade! de te-la? como a escolhida tenho-me refeito... da falsa vontade de que tudo por você sentido já tenha passado, e passado e pasmado olho a mesma lua não mudada e é como se uma semana apenas tivesse ultrapassado o peito o coração. a fácil explicação e força de expressão de quem deseja, o amor, inteiro. por inteiramente entregue a alguém que tornará e tornará e tornará. como uma força necessária para que as fantasias alimentem... o homem o espaço a vida? o meu viver.

Carla P.S. disse...

A paixão é sem vírgulas, o amor é um suspiro diante da eternidade. Nossos instintos são constantes, e nossos sentimentos já não são só nossos. Aceite um cafezinho, é por conta da casa. Beijos.
Obs: a respeito da agenda de show do Gil, não tô por dentro não. Só tive a sorte de conseguir me inteirar da vinda dele pra cá.

Ana P. disse...

Sua certeza, absolutamente correta... me ancorou, na verdade, na qual sempre estou. Apenas imagino se sua pouquíssima permissão, por mim imaginada, seria toda assim mesmo, ou parte da verdade desejada por mim.

Não poderia ser a verdade absoluta, escondida em sua vastíssima estória de fugas planejadas. Contemplando as vestimentas preferidas pela estrela de toda minha vida, como diria o poeta itabirano (que também imaginou a pedra no caminho), "pois é que quando meus olhos fitam novamente sua beleza, de cores iguais as escolhidas, refaço-me semi-poeta". E encolhido dentro de uma paixão desmedida, como deve ser o reflexo de minha vontade de tê-la como a escolhida, tenho-me refeito da falsa vontade de que tudo por você sentido já tenha passado, e passado, e pasmado...

Olho a mesma lua não mudada, e é como se uma semana apenas tivesse ultrapassado. O peito, o coração, a fácil explicação é força de expressão de quem deseja o amor (inteiro por inteiramente entregue a alguém), que tornará, e tornará, e tornará.

Como uma força necessária para que as fantasias alimentem o homem, o espaço, a vida... o meu viver.

Luna Sanchez disse...

Ok, vamos lá :

"Sua certeza, absolutamente correta, me ancorou na verdade, na qual sempre estou. Apenas imagino se sua pouquíssima permissão, por mim imaginada, seria toda assim mesmo, ou parte da verdade desejada por mim não poderia ser a verdade absoluta, escondida em sua vastíssima estória de fugas planejadas, contemplando as vestimentas preferidas pela estrela de toda minha vida. Como diria o poeta itabirano, que também imaginou a pedra no caminho, pois é...que quando meus olhos fitam novamente sua beleza, de cores iguais as escolhidas, refaço-me semi-poeta, e, encolhido dentro de uma paixão desmedida, como deve ser o reflexo de minha vontade de tê-la como a escolhida, tenho-me refeito da falsa vontade de que tudo por você sentido. Já tenha passado e passado, e, pasmado, olho a mesma lua não mudada, e é como se uma semana apenas tivesse ultrapassado o peito, o coração, a fácil explicação e força de expressão de quem deseja o amor inteiro, por inteiramente entregue a alguém que tornará e tornará e tornará. Como uma força necessária para que as fantasias alimentem o homem, o espaço a vida : meu viver."

Beijo,

ℓυηα

Cleyton disse...

Sua certeza absolutamente correta me ancorou. Na verdade, na qual sempre estou, apenas imagino se sua pouquíssima permissão por mim imaginada seria toda assim mesmo, ou parte da verdade desejada por mim. Não poderia ser a verdade absoluta, escondida em sua vastíssima estória de fugas planejadas. Contemplando as vestimentas preferidas pela estrela de toda minha vida, como diria o poeta itabirano, que também imaginou a pedra no caminho? Pois é que quando meus olhos fitam novamente sua beleza de cores iguais as escolhidas, refaço-me semipoeta. E encolhido dentro de uma paixão desmedida, como deve ser o reflexo de minha vontade. de tê-la como a escolhida. Tenho-me refeito da falsa vontade de que tudo por você sentido já tenha passado e passado. e pasmado olho a mesma lua não mudada e é como se uma semana apenas tivesse ultrapassado o peito, o coração. A fácil explicação é força de expressão de quem deseja o amor inteiro. por inteiramente entregue a alguém que tornará. e tornará e tornará como uma força necessária para que as fantasias alimentem o homem, o espaço, a vida, o meu viver.