sexta-feira, 5 de junho de 2009

com fitar

sua certeza absolutamente correta,
ancorou-me na verdade na qual sempre estou.
apenas imagino se sua pouquíssima permissão por mim imaginada,
seria toda assim mesmo ou parte da verdade desejada por mim.
não poderia ser a verdade absoluta,
escondida em sua vastíssima estória de fugas planejadas.
contemplando as vestimentas preferidas pela estrela de toda minha vida,
como diria o poeta itabirano, que também imaginou a pedra no caminho,
pois é que,
quando meus olhos fitam novamente sua beleza de cores iguais as escolhidas,
refaço-me semipoeta,
e encolhido dentro de uma paixão desmedida,
como deve ser o reflexo de minha vontade de tê-la como a escolhida,
tenho-me refeito da falsa vontade de que tudo por você sentido já tenha passado.
e passado e pasmado,
olho a mesma lua não mudada.
e é como se uma semana apenas tivesse ultrapassado o peito.
o coração,
a fácil explicação e força de expressão de quem deseja o amor inteiro,
por inteiramente entregue a alguém que tornará e tornará e tornará.
como uma força necessária para que as fantasias alimentem o homem,
o espaço,
a vida.
o meu viver.

6 comentários:

Carola Guimarães disse...

Porque paixões desmedidas
Inpiram as belas poesias.

E o amor inteiro vem preencher:
O espaço, a vida, todo o viver!

^^

Cleyton disse...

lindo! Já viu minha postagem no blog dos 30?
http://blogdas30pessoas.blogspot.com/
Escreverei sempre no dia 05 do mês.

Nathália disse...

Um dia ainda escrevo bonito assim. Rsrs

Beijo!

Fernanda Fernandes Fontes disse...

O céu é um só, assim como a lua...as estrelas várias, mas onde está o brilho delas quando tudo se apresenta vermelho, com nuvens brancas?

Faz frio, tanto frio, mas náo passa.

Bjs

i ILÓGICO disse...

carola (já te falei que adoro seu nome?): nem penso em achar régua...


cleyton: fui...mas já voltei. deixei meu filho em casa sozinho...tava lindo lá...obrigado por me ler...

nathalia: tá aí com você...é sua vez. obrigado pelo elogio.

fernanda: depois das 19h, onde estão as coisas?

Talita Prates disse...

Nossa, gostei demais!
Reverencio-o!
:)