quarta-feira, 10 de junho de 2009

deste-me

desde a boca. desde o filme. desde o riso.
desde o desdenhar. desde a madrugada.
desde o pé. desde a cabeça. desde o coração.
desde a solidão. desde a fome. desde a estrela.
desde a imagem. desde o ilógico.
desde o quando. desde o tanto. desde o quanto.
desde o longe. desde a ausência.
desde hoje.
desde ontem.
desde que não haja amanhã.

6 comentários:

Talita Prates disse...

Você vive de "poetar"?
Uau.

i ILÓGICO disse...

talita: nem sempre. só quando arraigo...

Ana P. disse...

Parece-me que desde sempre.

Mas é desde tão pouco tempo!

Bjos! Adoro essas poesias... ain, num sei nomear! Mas atoron!

i ILÓGICO disse...

ana: desde? então?

Luna Sanchez disse...

Desde quando, mesmo?

Não importa...desde o início, eu acho. ;)

Beeeeeeijo,

ℓυηα

Carola Guimarães disse...

Aliás, o amanhã é só incerteza!