terça-feira, 23 de junho de 2009

romaneio

Passantes mãos em pianos mudos,
com letras falantes que marcam a tela,
mostram o som da voz distanciada,
entre montes e serras,
conquistando uma parte desidratada de mim.
Longos dias,
sem fim ou sem certeza,
são os dias preenchidos,
posições,
promessas de línguas,
fórmulas químicas.
Inverdades ditas francamente,
interessam aos similares.
Dependo, defendo os momentos ,
diversas opostas.
Quilômetros trazem-me,
melhores momentos doados por alguém.

2 comentários:

Denise disse...

Promessas de linguas...cores,sabores

carinho

De

Cristal - a louca. disse...

Cara, queria poder escrever algo do tipo.
"eu conheço tantas palavras, mas tem horas que elas não me servem pra nada."

Ótima poesia, vc tem talento hehehehehehehe.

Beijundas ^^