quarta-feira, 12 de agosto de 2009

morto

nada é real para quem morre.
e para quem fica,
aquilo que do morto fica, o material,
torna-se surreal.

Um comentário:

Luna Sanchez disse...

Verdade, as coisas que ficam ganham um Q de abstrato, como se não fosse possível ainda estarem ali, mas estão. =\

Beijo.

ℓυηα